Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a alma da flor

a alma da flor

Desafio - Memória de seis palavras

21.05.08 | DyDa/Flordeliz

 

Respondendo ao desafio da minha amiga: 
Memória de seis palavras escolho esta frase:
- Mulher guerreira em convicções, ideais, sonhos e desejos!
Era uma vez um pingo de água que se multiplicou e deu lugar a duas pequenas gotinhas. As duas eram tão belas como o reflexo do sol quando brinca com as gotas do orvalho.
Uma foi presenteada com as cores do azul do céu e a calma das nuvens em ameno dia de Primavera. A outra foi colorida com os tons verde do mar e a rebeldia das ondas e marés.
Uma tímida e delicada. Outra forte e obstinada.
Estas duas almas gémeas foram percorrendo o mesmo caminho, sempre de mão bem agarrada amparando-se uma na outra, protegendo-se, sem que as suas cores se confundissem ou ficassem descoloridas.
Ao fim de dezoito anos:
Uma continua como o céu da Primavera, calma e tranquila. E a outra, verde como o mar misterioso, revolto e inquieto.
Se a primeira me encanta pela tranquila e serena sabedoria que encontrou.
A segunda fascina-me pela garra, pela luta, pela força com que abraça os seus ideais até atingir os objectivos em que acredita.
 
O Poema que aqui deixo é da minha gota “rebelde” verde água
 
"Sim, renuncio!
A objecção não satisfaz!
O teu sentir por ti respira
E o meu corpo peregrinamente desespera
O teu regresso sempre audaz...
 
A tua chama sempre capaz
Meu incontestável cadáver lateja,
Minha austera autoridade exaspera
Homens e armas no único campo que batalharás!
 
Impiedosos sacrilégios que em mim ressuscitas!
Liberdade ao brado capital!
(Quase animal…)
Oh, tomara ser bastião para jesuítas!
 
Sim renuncio!
Não fosse o Céu uma ilusão!
Não fosse política, democracia!
Não fosses tu caverna fria!
Sim renuncio!
Não fosse a vida uma prisão!"
 
Que as duas: sejam felizes!
 
 
 Sintam-se convidados e metam mão ao desafio!
 
 
 
 

 

 

1 comentário

Comentar post