Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a alma da flor

a alma da flor

Porque os dias... não são todos iguais!

01.11.07 | DyDa/Flordeliz

Sinto arrepios de frio.

Abro a água que cai e se vai transformando em vapores que se espalham pelo ar.

Dispo-me, e calmamente, deixo a água escorrer pelo meu corpo, sacudindo este frio que teima em me acompanhar.

O aroma a amêndoas e mel, desperta aos poucos os meus sentidos e por momentos faz-me sorrir.

Penso em ti. Nas saudades que sinto das tuas mãos afagando as minhas costas. E de novo... sinto um arrepio que sobe pelo no meu corpo. Não de frio! Não de medo!…

Nuvens quentes nublam o ar. Enrosco a toalha que lambe meu corpo e lembro… um outro momento… um outro dia!