a alma da flor
10
Mai 09

 

 A menina (não gosto do nome empregada) que faz a limpeza cá em casa é uma pessoa especial. Mãe de dois petizes, um de quatro tenros anos e uma catraia que frequenta este ano o 2º ciclo.

Empurra a vida com garra de leoa defendendo as suas crias e o seu clã. Aproveita cada músculo do seu corpo e do seu tempo para aqui, acolá ou mesmo com mãos de artesã amealhar mais uns euros e com isso proporcionar uma vida melhor que o parco ordenado da fábrica não lho permitiria.

Gosto dela! Sei que é atenciosa comigo e sempre disponível a fazer-me as vontades. Muitas vezes sou surpreendida com pequenos mimos e carinhos, um bolo, uma sobremesa, ou algo mais feito pelas suas mãos…

Nunca preciso de lhe “alumiar” o serviço. Sabe o que tem a fazer e toma a iniciativa das tarefas.

Mas, com tanto predicado o “artigo” tinha de vir com algum defeito,  para poder ficar uma mulher de limpeza completa. E esta não foge à regra!

Quando começa a falar é como as crianças a brincar – dá vontade de se lhe tirar as pilhas. Por norma tento escapar-me antes do rol das suas lamúrias começarem.

Há coisas de que gosto muito na minha casa, foram compradas com gosto e sacrifício. Há peças de roupa que também gosto muito e é por isso que as comprei.

O que eu gosto muito pouco é de entrar em casa e ver os móveis trocados de lugar. Gosto de os rever exactamente no sítio onde os deixei quando virei a última vez as costas ao sair de casa.   Mas ela não pensa assim e de vez em quando deve fartar-se de limpar as coisas no mesmo sítio.

Esta “Maria” de vez em quando e porque a pressa não é boa conselheira, os objectos escapam-se-lhe da mão, ficando depois com cara de quem não teve culpinha nenhuma, foram eles que lhe fugiram -  os malvados!

Esta semana, finalizado o seu serviço e porque eu não estava em casa fez a gentileza (pouca sorte a minha) de enfiar os “farrapos” em lixívia dentro da máquina, isso, e a minha camisolinha cor-de-rosa que combinava lindamente com uma blusa de aplicações na mesma cor e na mesma tonalidade.

Pois!…Fiquei com uma “nova” camisola, tipo girafa, malhadinha mas de cores suaves.

Deixo o resultado final desta nova e artística forma de presente e uma vontade enorme de trepar pelas paredes.

Devem pensar: Que vai fazer ela à empregada quando a encontrar na próxima semana?

Nada! Nadinha mesmo!

Ela diria: Se calhar a camisola estava dentro da máquina, não fui eu que a meti!...

 

 

 
publicado por DyDa/Flordeliz às 20:20
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
rssssssssssssss...Paciência precisamos sempre, des...
Sim, muito sinceramente, agora as coisas estão bem...
Não lamentes.Não se perdeu grande coisa.Agora muit...
Lamento que tenhas este blogue abandonado...
É muito mais frequente do que parece este tipo de ...
Olá, bem-vinda.Óbvio que temos de ser cuidadosos. ...
Pois, os acidentes acontecem.BFDS
Nunca ninguém pode dizer que não lhe acontece.Todo...
Totalmente de acordo. Não sou mãe, mas entendo que...
Flor, não quis ser intrometida, mas sabendo que es...
Calma Miilay, não se preocupe eu estou bem. Juro.O...
Amiga, será que se desagregou mesmo???Desejo que a...
Momentos...Agarremos os que são bons, os outros......
Na vida nada é eterno ...Até uma boa música ou um ...
Paciente? Eu de facto vou algumas vezes ao médico....