Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a alma da flor

a alma da flor

Encantado?.... Para mim, sim!

05.11.10 | DyDa/Flordeliz

 

 

Uma porta entreaberta. Um jardim colorido. Árvores frondosas enquanto a hera trepadeira vai cobrindo as paredes. E…

 

Pela minha memória passam recordações da época em idade escolar. Muitas horas embrenhada no cenário imaginário dos livros de aventuras de ”Os cinco” – de Enid Blyton.

Li a mesma estória tantas vezes, sem nunca enfadar. Mesmo já a conhecendo e sabendo de cor como ia terminar.

Eram páginas repletas de mistério. De segredos. Locais e casas abandonadas. Tesouros escondidos em grutas e penhascos.

A “Quinta Kirrin”, onde vivia a Zé com os seus pais, a tia Clara e o tio Alberto, o cão Tim e os primos que chegavam e eram acolhidos com agrado pela família, durante as férias.

Esta quinta ficava próximo de uma ilha com praia de águas calmas.  

E muitas das aventuras acabavam nessa mesma praia com gargalhadas, jogos e corridas na areia e banhos no mar. Lembro-me, também, que costumavam ter como recompensa um belo e anafado cesto de lanche, com sanduíches frias, frutas, bolos e limonadas. 

Era tudo tão bem descrito que ainda me recordo de como na época me crescia a água na boca, apesar de desconhecer grande parte dos ingredientes que compunham a elaborada e recheada ementa que a autora falava, uma vez que, por casa, nunca tinha visto ou provado. Mas nada disso servia de empecilho ou me impedia de imaginar os sabores ou, ainda, de me “juntar” à aventura em que só no livro permaneciam “Os cinco”. No meu coração e desejo éramos, na verdade, “Os seis”!

Percorri cada labirinto e até me antecipei a decifrar as charadas, juntando-me alegre ao festejo e à celebração do final de mais um enigma resolvido e à continuação de dias de brincadeira passados ao sol.

Tudo isto, sem sair de cima da cama, de barriga para baixo e pernas no ar, já a sonhar com o livro cujo título era anunciado na última página do que tinha acabado de ler.

 

 

Talvez por ser uma porta em ferro antigo. Talvez por ter brasão. Talvez… Não sei, o porquê… Sei é que senti imensas saudades dos castelos encantados da minha infância.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    DyDa/Flordeliz

    11.11.10

    E os que roubava da mesinha de cabeceira "ao mano velho"?
    Caprichos. Livros de cowboys. Aos quadradinhos. Arlequins...
    Marchava tudo às escondidas. Entre os livros da escola

    Mas tens razão os cinco... era a loucura.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.