a alma da flor
20
Mar 14

Os dias estão solarengos. Há vida, renovação e nota-se nos rostos de quem nos cruzamos as cores da boa disposição.

No entanto, esta nem sempre tem de andar ligada a um badalo sineiro ininterrupto como se de um spot publicitário se tratasse.

 

 

Hoje passei por uma frutaria, da qual não sou cliente, mas por estar na minha rota, deu jeito entrar.

O espaço era amplo e estariam umas seis ou sete pessoas a escolher e encher os sacos com fruta ou legumes, para de seguida se aproximarem da caixa, pesar e pagar.

 

 

Posteriormente, entrou uma cliente que, pelo à vontade demonstrado, fará parte dos conhecimentos da funcionária da loja, e logo foi debitando conversa. Conversa essa, alta e em bons decibéis.

Cliente: Hoje as maçãs não são madurinhas como eu gosto. Gosto de maças madurinhas.

Funcionária: Tem ananás muito madurinho.

Cliente: Gosto da fruta toda madurinha.

Funcionária: O ananás hoje é barato e madurinho, enquanto fazia a conta de outro cliente: ora um molho de espinafres....

Cliente: Não tem lá dentro maçãs mais amarelinhas? O ananás é mesmo madurinho?

Funcionária: Olhe para o que esta senhora vai levar, está bem maduro! Veja pela cor amarelinha. – ora...novamente, um molho de espinafres...

Cliente: Esse está. Já não tem outro igual. Esse, era o mais madurinho.

Funcionária: Ora bem vamos lá fazer a conta desta senhora. Então, é um molho de espinafres... Olhe, se quiser dispenso-lhe um que tirei para mim hoje para levar para casa - começando a remexer nuns sacos atrás do balcão à procura do ananás. Vamos lá fazer a conta: um, dois, três molhos de espinafres...

Cliente: Eu levava morangos, mas se calhar levo amanhã, afinal passo cá, levo fresquinhos.

Enquanto isto, entraram outros clientes, a mesma conta continuava por fazer, e fomos assistindo à grande trapalhada da funcionária de não conseguir concentrar-se nas contas sem tagarelar e sem que a “outra” desistisse da conversa “madurinha”.

Sinceramente, já me ferviam os dedos dos pés do nervoso miúdo. Estava a ficar desesperada!

Um outro cliente, que estava na fila, acabou por demonstrar impaciência sobre a situação e sai-lhe este comentário, tipo brincalhão, mas nem por isso menos assertivo.

- Você hoje não está a dar conta do recado. Faça a conta que me quero ir embora. Se fosse seu patrão já a tinha despedido!

E foi mesmo nessa hora que entrou o patrão da loja. A balconista ficou toda atrapalhada e foi gracejando.

- Veja lá...veja lá...o patrão ainda me despede com as suas brincadeiras (sorriso amarelo).

OUPS... Pensei!

Finalmente alguém com coragem. Paguei. Saí. E vinha ainda com os neurónios a fumegar, quando entrei na peixaria. Sentei-me num banquinho para aguardar a vez. O senhor Carlos olhou para mim e exclamou:

- Caramba. Parece muito cansada!

Sem pensar respondi com voz irritada:

- Estou mesmo, muito cansada, cansada de ouvir gente a conversar.

 

Ele ficou com ar de quem não percebeu. Eu também não esclareci. Afinal, o peixeiro não tem obrigação de me aturar.

Não ia dizer: Se não fosse o patrão da loja da fruta ter entrado, talvez ainda estivesse à espera de que a fruta amadurecesse. Já que a conversa, essa, estava já mais que podre.

 

 

publicado por DyDa/Flordeliz às 21:52
Acreditando que o teu cansaço já esteja amadurecido e a irritação na tua voz tenha sido digerida, atrevo-me a comentar.
Para dizer-te que pessoas como essa cliente são para mim como uma borbulha que é preciso espremer de imediato. Um furúnculo.
No caso poderias ter dito: a fruta madura faz bem à prisão de ventre!levando a conversa para um assunto de m...
Duas coisas poderiam acontecer: ou a cliente optava por fruta verde, ou calava-se.
Pelo menos até que a empregada finaliza-se a conta da outra cliente!

Beijinhos amadurecidos com sorrisos
Kok a 26 de Março de 2014 às 17:45
Faz bem? Juras?
É pá, vou começar a comer a fruta toda madurinha então

Sabes que não culpo a fala barato?
A culpa era da simpatia idiota da empregada, que apenas parecia interessada em dar à "tramela" com a cliente "desbocada" e lugar de despachar o serviço para o qual foi contratada.

É por isso que há os bons funcionários, e os que se encontram empregados.

Para tudo é preciso ter jeito, dedicação e inteligência, ou o caldo entorna.
A mim não me apanha lá de novo.
Aturar? Basta-me os clientes cá do "tasco".
Bom Fim de Semana.






DyDa/Flordeliz a 29 de Março de 2014 às 22:30
E de madura cai ao chão e esborracha-se "ploch". Era um tomate bem maduro pelas ventas acima, deu-te a ideia?


Bom fim de semana
golimix a 29 de Março de 2014 às 08:41
...ou um diospiro. Mais mole e mais escorregadio

Não. Não me lembrei disso. Vou ficando a ferver...a ferver que, por momentos deixo de pensar e ver.
Dei por mim a falar rua fora e a pensar: quem me vir diz que sou maluca.
Acredita que mesmo não o sendo - fiquei por momentos alterada.

Já passou.
Não costumo lá ir, não penso regressar.

Bom fim de semana.
DyDa/Flordeliz a 29 de Março de 2014 às 22:21
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Histats.com © 2005-2010 Privacy Policy - Terms Of Use - Powered By Histats
últ. comentários
Sim, muito sinceramente, agora as coisas estão bem...
Não lamentes.Não se perdeu grande coisa.Agora muit...
Lamento que tenhas este blogue abandonado...
É muito mais frequente do que parece este tipo de ...
Olá, bem-vinda.Óbvio que temos de ser cuidadosos. ...
Pois, os acidentes acontecem.BFDS
Nunca ninguém pode dizer que não lhe acontece.Todo...
Totalmente de acordo. Não sou mãe, mas entendo que...
Flor, não quis ser intrometida, mas sabendo que es...
Calma Miilay, não se preocupe eu estou bem. Juro.O...
Amiga, será que se desagregou mesmo???Desejo que a...
Momentos...Agarremos os que são bons, os outros......
Na vida nada é eterno ...Até uma boa música ou um ...
Paciente? Eu de facto vou algumas vezes ao médico....
Amigo, és um paciente.Haja pachorra para aturar as...