a alma da flor
08
Jun 11

Muitas vezes se ouve:

Fulano tem um “mal” ...

 – É hereditário!

Se fulano tiver má índole, será hereditário? (pergunto-me eu.)

 

Um casal teve três filhos e criou-os na mesma casa. Sentava-os a todos ao redor da mesma mesa. Alimentava-os a todos da mesma panela. Os ensinamentos e os valores foram transmitidos conforme o que lhes pareceu o mais acertado, e dependendo da formação que receberam eles também.

 

Depois de criados e, já adultos, cada um seguiu com a sua vida. Com maior ou menor sucesso. Com mais ou menos sorte. Mais ou menos empenho.

E todos conseguiram levar uma vida, “dita”, normal.

Cada um destes filhos teve um filho também. E assim o casal inicial passa a ter três filhos e três netos.

A vida vai seguindo. Os anos vão passando. A idade vai avançando. Os netos tornam-se adultos.

 

É aqui que a história e a hereditariedade vão para o galheiro.

 

Dois dos netos vivem normalmente o dia-a-dia. O outro vive como se só o dia de hoje contasse. Como se não houvesse obrigação de ser íntegro. Como se todos devessem ganhar para manter vícios e ânsias de riqueza que não existe hoje, nem nunca existiu. Onde cada palavra é usada para enganar, manipular e ganhar vantagem. Usando de estratagemas, filmes, novelas, lágrimas e mesmo doenças.

 

Uma vantagem ilusória que se queima como a cabeça de um fósforo.

 

Uma pessoa que vive de falcatruas deveria ser alguém de sucesso. Fazer render o que rouba, o que desvia, o que obtém de forma pouco transparente.  Fazer engordar o seu pecúlio e não ter de mendigar e voltar a bater nas mesmas portas com as mesmas histórias,  apenas introduzindo novos protagonistas.

 

A mim pesa-me a consciência quando sou infeliz numa palavra mal dita. Quando sou ingrata. Quando magoo sem intenção…

 

Teria este neto nascido sem a dita “consciência”?!...

Serão mesmo o RAIO das doenças hereditárias? Não poderia ter nascido este infeliz com a doença do BOM-SENSO, da LEALDADE, do VERGAR O GARFO e TRABALHAR?

 

Talvez fiquem confusos. É que eu sinto-me TARALHOCA. Portanto: Desculpem qualquer coisinha, sim?{#emotions_dlg.confused}

 

publicado por DyDa/Flordeliz às 01:08
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Histats.com © 2005-2010 Privacy Policy - Terms Of Use - Powered By Histats
últ. comentários
Sim, muito sinceramente, agora as coisas estão bem...
Não lamentes.Não se perdeu grande coisa.Agora muit...
Lamento que tenhas este blogue abandonado...
É muito mais frequente do que parece este tipo de ...
Olá, bem-vinda.Óbvio que temos de ser cuidadosos. ...
Pois, os acidentes acontecem.BFDS
Nunca ninguém pode dizer que não lhe acontece.Todo...
Totalmente de acordo. Não sou mãe, mas entendo que...
Flor, não quis ser intrometida, mas sabendo que es...
Calma Miilay, não se preocupe eu estou bem. Juro.O...
Amiga, será que se desagregou mesmo???Desejo que a...
Momentos...Agarremos os que são bons, os outros......
Na vida nada é eterno ...Até uma boa música ou um ...
Paciente? Eu de facto vou algumas vezes ao médico....
Amigo, és um paciente.Haja pachorra para aturar as...