a alma da flor
29
Jun 11

Sim, assombram-me

Pedras que escolhi

Muitas que colhi

E outras que guardei…

 

Sim, assombram-me

As que me pareciam frágeis...

As que se faziam delicadas…

Porque a todas, abriguei!

 

Sim, renuncio

À ganância, à arrogância

De se sentirem valiosas

Ou quiçá, preciosas?!...

 

Sim, renuncio

Pois das pedras que acolhi

Poucas são, as que reconheci

Como sendo essenciais.

 

E porque me estão a assombrar

Acabei de as renunciar

Querendo vê-las deslizar

Da palma da minha mão.

  

Se não se deixam polir

Se não as posso amaciar                                             

Se servem só para amolar...

Fiquem pedras eternamente.

 

No empedrado da rua

Pisadas e repisadas

Amassadas com alcatrão

Se for essa a sua condição.

 

Terminando assim de uma vez

Com a minha assombração

Porque eu – renuncio!

 

ByDiDaFlower

publicado por DyDa/Flordeliz às 01:48
Fiquei na duvida.. renuncias a atirar ou a levar com elas?

Agora vou ali buscar uma fotografia .... que este poema merece.

Jorge
Jorge Soares a 29 de Junho de 2011 às 08:43
Renuncio - guardar
Beijos
DyDa/Flordeliz a 29 de Junho de 2011 às 10:30
Está bonito o teu poema. Mas e então, não vais fazer um castelo com elas? Como o Fernando Pessoa... Olha que afinal até tens razão, vou renunciar as minhas também... é que pesam p´ra caraças...!

Um abraço e um sorrisito para ti
Rosinda
Rosinda a 29 de Junho de 2011 às 23:40
O Pessoa não tem culpa.. faz favor de ler aqui: http://momentoseolhares.blogs.sapo.pt/406785.html

Jorge Soares a 29 de Junho de 2011 às 23:59
Bem, o Jorge diz e eu acredito, até porque tenho a certeza que não faria o post sem o devido conhecimento. Bem levei com uma pedra na tola! Mas aprendi alguma coisa, é mesmo assim: "Aprender até morrer"
Noite descansada...
Rosinda
Rosinda a 30 de Junho de 2011 às 00:07
Algures no site da Casa Fernando Pessoa há um comunicado sobre este poema.. que esclarece completamente .... infelizmente não o consigo encontrar...

Jorge
Jorge Soares a 30 de Junho de 2011 às 00:13
Sobre qual, o meu ( tentativa de qualquer coisa)?

Também li que foi Augusto Cury que escreveu o texto que indicas no teu blog http://momentoseolhares.blogs.sapo.pt/406785.html .

Li ainda, que da Casa Fernando Pessoa saiu a informação de que “O poema em questão não é de Fernando Pessoa, coisa que poderia ser garantida à primeira leitura (pelo tema, pela escrita, pela ortografia)....

A mim: tão pouco me importa...
Não quero construir um castelo com as pedras que guardei.
Consta ainda, que esta frase também não pertence ao texto de Cury
e que é seu autor um blogueiro brasileiro.

Entre contos e ditos...
Difícil descobrir o fio do novelo. Não achas?

Boa noite
DyDa/Flordeliz a 30 de Junho de 2011 às 00:54
Levaste nada. Eu deixei-as em lugar seguro para não magoar ninguém.

O Jorge é atento e tentou esclarecer uma vez que já abordou este assunto.
Realmente não parece o tipo de escrita do nosso "nandinho", mas já tanta gente assumiu que era dele que vai ficar sempre na nossa ideia que é.
Se fizermos uma busca - aparece como sendo!...
Noite descansada para vós.
Abraço
DyDa/Flordeliz a 30 de Junho de 2011 às 01:00
Já não vivo de ilusões
E as pedras que renuncio
Ora, nem serviam para as fundações
Por não passarem de assombrações

O castelo seria depreciado
Por não ser bem planeado
Eu quero construção forte
Pelo menos uma, que me suporte

As pedras que aqui deixei
Fui eu que as coleccionei
E nunca imaginei
Que me serviriam de muralha
DyDa/Flordeliz a 30 de Junho de 2011 às 02:01
As pedras da minha vida
tenho-as deixado por aí,
não para voltar a pisá-las
mas para que saibam por onde "andí".

1 e 1000 beijos!
Kok a 11 de Julho de 2011 às 11:36
Olá muito boa noite.


Kok tu tens razão
Deixadas como marcação
Podem servir de orientação
Para não as voltar a pisar
Muito menos nelas tropeçar

Um abraço
DyDa/Flordeliz a 22 de Julho de 2011 às 00:41
hoje conseguir entrar
mas tem sido muito dificil faze lo
gosto muito de te ler
continua...))
boa semana flor
luadoceu a 18 de Julho de 2011 às 15:23
olá sê bem aparecida
não sabia que era complicado entrar aqui
quanto a escrever...
um destes dias, quem sabe?!

beijinho
DyDa/Flordeliz a 18 de Julho de 2011 às 17:19
Querida Flor,
Passei para te enviar um grande beijinho e dizer-te que quem escreve assim é poeta..
Parabéns. Já te tinha dito que escreves bem, não já?
E eu vou e venho..
Abracinho com saudade
Ametista a 22 de Julho de 2011 às 00:02
Olá simpática.

Quem escreve assim: não é poeta!
Quando muito é pateta!!!!!!!!!!!!!!!!!


És muito querida.
Beijoka
DyDa/Flordeliz a 22 de Julho de 2011 às 00:47
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Histats.com © 2005-2010 Privacy Policy - Terms Of Use - Powered By Histats
últ. comentários
Sim, muito sinceramente, agora as coisas estão bem...
Não lamentes.Não se perdeu grande coisa.Agora muit...
Lamento que tenhas este blogue abandonado...
É muito mais frequente do que parece este tipo de ...
Olá, bem-vinda.Óbvio que temos de ser cuidadosos. ...
Pois, os acidentes acontecem.BFDS
Nunca ninguém pode dizer que não lhe acontece.Todo...
Totalmente de acordo. Não sou mãe, mas entendo que...
Flor, não quis ser intrometida, mas sabendo que es...
Calma Miilay, não se preocupe eu estou bem. Juro.O...
Amiga, será que se desagregou mesmo???Desejo que a...
Momentos...Agarremos os que são bons, os outros......
Na vida nada é eterno ...Até uma boa música ou um ...
Paciente? Eu de facto vou algumas vezes ao médico....
Amigo, és um paciente.Haja pachorra para aturar as...