a alma da flor
01
Ago 10

Cada criança nasce com todo o tempo do mundo. Sem hora. Sem pressa. Vive, pura e simplesmente.

Lentamente vai descobrindo o dia, a noite. Aos poucos vai vivendo mais tempo acordada do que a dormir. Vai encontrando. Vai aprendendo. Vai querendo.

É só na fase em que somos crianças que desejamos que os anos voem rápido. Queremos ser crescidos. Para quê?.. Não importa! Para atingirmos algo que desconhecemos mas que desejamos com força e determinação. Apenas porque sim!

E, de repente, a criança atinge os quinze anos e os dezoito. Descobre logo a seguir que afinal até foi bom ser criança e que não vale mais a pena desejar apressar o relógio que lhe marca as horas, porque isso a faz viver a correr.

Afinal, não havia tanta pressa. Afinal, o melhor seria que ele se cansasse de correr, pois a vida pode e deve ser levada bem devagar para se poder sentir prazer.

Mas...

A vida não pára! Aproximam-se os vinte e três. Pouco mais de meia dúzia e chegam os trinta. E é aí que começam os lamentos e um certo impulso de atropelar os ponteiros, empenando-os numa das primeiras horas da manhã, atrasando-os para aumentar o dia.

Pretensioso, ele continua a sua caminhada e o seu tic-tac-tic-tac, se não for na cozinha, no quarto, na sala, ou mesmo na rua ouvindo-se o badalo do campanário da igreja.

E logo chegam os quarenta. Aqui, já há muito vamos tentando trapacear a vida roubando-lhe nas horas de sono e tentando fazer as 24 horas do dia, serem isso mesmo – horas de um dia. Porque as que estavam destinadas a dormir, há muito foram ocupadas com tarefas. Não deixando tempo para fazer o mais simples e o que é mais natural – Viver!

Olhamos à volta e pensamos: A vida corre connosco ou somos nós que corremos atrás dela?

Mas…

Será que sabemos ou poderíamos abrandar?

Será que valeria a pena?

Quero acreditar que não!

Os anos vão continuar a passar e vai chegar o dia em que já não fará qualquer diferença.

Como quando nascemos, deixaremos de saber se é dia ou se é noite. Se é Inverno ou é Verão. Porque cantam os pássaros. E muito menos que horas são, porque serão todas iguais.

Teremos de novo todo o tempo do mundo, mesmo que ele se tenha há muito esgotado da nossa vida.

Nascemos e não trouxemos um cartão com a data de validade. E também não nos entregaram um livro com a manutenção, data para mudança de óleo, de substituição de filtros…

Foi sem querer que cada um de nós nasceu.

Morremos porque assim tem de ser.

Vivemos às vezes porque nos obrigam a prolongar a nossa passagem. Mas também, na maior parte das vezes, não teríamos capacidade para responder se temos vontade de partir.

E, indiferente, o relógio da vida vai caminhando em passo apressado, em passo certeiro o seu tic-tac-tic-tac.

Chegará a época em que nenhum de nós quererá saber os porquês...

Portanto, procuremos por eles enquanto a vontade prevalece e a força não desvanece.

 

Bom Domingo

publicado por DyDa/Flordeliz às 18:06
Talvez por causa desse tictac desse pouco tempo que terá, não escreve muito. Mas quando escreve... menina escreve muito bem! Está maravilhoso este post!
É um despertar para a realidade... adorei o tempo que demorei a ler. :-)
Um beijo grande
Rosinda a 1 de Agosto de 2010 às 20:09
Curioso.. há pouco fiz uma viagem de autocarro.. tive muito tempo para olhar a paisagem e recordar o tempo em que andava muito de autocarro... tempo em que o mês de Agosto era meu...

Agora o tempo que não é dos meus filhos é do patrão.. de meu resta muito pouco.. mas a vida é assim, andamos sempre atrasados, quando temos tempo não o sabemos viver.. e quando damos por isso, ele já passou.

Beijinho e boa semana
Jorge
Jorge Soares a 1 de Agosto de 2010 às 21:49
Estou numa altura em que sinto que o relógio que herdei da minha avó está a trabalhar demasiado depressa. Quando era pequenina ouvia o tic tac e esperava uma eternidade para que batessem as badaladas. Hoje enquanto estou aqui ele impiedoso e indeferente a mais um Agosto, vai deixando que tudo passe por mim, deixando-me com a sensação que não sou capaz de fazer tudo o que quero, mas pelo menos hoje deixou que viesse aqui falar do teu tempo, do meu e deixar-te um beijo e votos de uma boa semana.

Manu
Existe um Olhar a 1 de Agosto de 2010 às 21:55
Ai flor... muito bem escrito mas cheio de nostalgia. E são tão verdadeiras as tuas palavras... a vida é por vezes injusta mas é assim mesmo que "funciona". O relógio da vida é cruel, vai-nos tirando tudo a pouco e pouco. Por vezes é difícil aceitar o passar dos anos. Mas nada a fazer. Gostei mas fiquei assim com um aperto no coração. E ficamos a pensar...
Beijinhos
ónix a 2 de Agosto de 2010 às 23:16
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Histats.com © 2005-2010 Privacy Policy - Terms Of Use - Powered By Histats
últ. comentários
Sim, muito sinceramente, agora as coisas estão bem...
Não lamentes.Não se perdeu grande coisa.Agora muit...
Lamento que tenhas este blogue abandonado...
É muito mais frequente do que parece este tipo de ...
Olá, bem-vinda.Óbvio que temos de ser cuidadosos. ...
Pois, os acidentes acontecem.BFDS
Nunca ninguém pode dizer que não lhe acontece.Todo...
Totalmente de acordo. Não sou mãe, mas entendo que...
Flor, não quis ser intrometida, mas sabendo que es...
Calma Miilay, não se preocupe eu estou bem. Juro.O...
Amiga, será que se desagregou mesmo???Desejo que a...
Momentos...Agarremos os que são bons, os outros......
Na vida nada é eterno ...Até uma boa música ou um ...
Paciente? Eu de facto vou algumas vezes ao médico....
Amigo, és um paciente.Haja pachorra para aturar as...