a alma da flor
05
Jan 10

imagem retirada da internet

  

Gosto de entrar no blog da “Milú” e ler o que tem para nos contar. E foi aí, numa das minhas habituais visitas, que me lembrei da minha primeira tentativa de "paviar".

 

Costumava assistir às aspiradelas e sopradelas do meu pai quando fumava uns cigarros todos branquinhos e muito pequeninos. Muitas vezes fui incumbida de subir a calçada à portuguesa para os ir comprar à mercearia do “Pingas”. Sei que na época ele gostava do Português Suave ou, quando o dinheiro já não era muito, uns que se vendiam avulsos, os Kentucky, que ficavam mais baratos e que ele tinha o cuidado de contar quando eu lhos entregava. Não sei se o fazia para me controlar, se para se controlar a ele, ou mesmo para controlar o tasqueiro.
Ora, em criança, aquilo que desconhecemos, aguça-nos a curiosidade e eu não fui excepção.
Um dia, era ainda bem gaiata e, encontrando-me sozinha lá em casa, sem sono e sem nada para me entreter, resolvi sair, ainda em pijama e descalça como sempre, para a minha aventura na arte de imitar o meu pai a fumar.
O local mais resguardado lá de casa, até porque me poderia trancar, era o espaço "a que chamavam" casa de banho. Na verdade era mais o sítio onde tomávamos banho, porque de casa, apenas tinha o nome.
Como cigarros não os tinha, e coragem para os "fanar" também não, resolvi a questão fazendo um rolinho com um papel acastanhado de embrulho. Armada com a caixa dos fósforos escondida entre a roupa, ali mesmo, puxei do meu cigarrinho e vai de lhe atear o lume, enfiando de seguida a ponta em labareda na boca. De imediato senti o calor a chegar-me às pestanas e ao cabelo. Com a atrapalhação e o espaço diminuto, o lume logo se espalhou pelo laminado do pijama, obrigando-me a sair disparada porta fora, a dar palmadas e sacudidelas aqui e ali, enquanto as chamas iam percorrendo toda a roupa, apagando-se apenas quando o pêlo do felpo terminou. Ficou assim, extinto o incêndio, mas deixou-me o coração a bater como um cavalo tresloucado e as pernas a tremelicar pelo susto.
Há um ditado que diz: “Ao menino e ao borracho põe Deus a mão por baixo”.
Eu não sei quem me protegeu, mas lá sorte tive eu de não ter ficado como um frango no espeto e ficarem só as pontas do meu pijama a cheirar a porco queimado. Como não se encontrava ninguém por perto, o assunto terminou mais rápido que uma rajada de vento, o mesmo sucedendo à vontade de repetir a experiência.
Não foi esta “tragédia” que me impediu, na juventude, de dar as minhas “passas”. Nunca me senti muito bem com o cheiro do fumo do tabaco e, por isso, nunca foi grande a tentação.
Agora com a lei que proíbe fumar, a mim sabe-me muito melhor almoçar ou jantar sem engolir o fumo das mesas do lado. No entanto, compreendo que também sabia muito bem a quem gostava de fumar o seu cigarrinho, no fim do jantar ou do café.
publicado por DyDa/Flordeliz às 00:18
Flordeliz,

até me assustei enquanto lia que o fogo se havia pegado ao teu pijama, embora, suspeitasse, antes de terminar de ler, que nada de grave te havia acontecido, devido ao tom divertido com que narras a tua história. Sou muito sensível quando acontecimentos infelizes acontecem às crianças por cauda da inocência. Ainda bem que tudo não passou de um cagaço! Já agora aproveito a deixa para contar aqui uma história, com a qual ia morrendo a rir, embora possa parecer mal, rimos-nos do mal que acontece aos outros, mas, a verdade seja dita, nunca vi rir do bem!
Uma colega contou-me que um indivíduo do nosso conhecimento havia lançado fogo a ele próprio, da forma mais inesperada. Tudo aconteceu por ele estar bastante constipado, para aliviar os incómodos sintomas, massajou o peito abundantemente com aquela espécie de gel, que cheira muito a mentol, que agora já nem se usa, cujo nome tenho a vaga ideia de ser Vaporit. Presumo que já estarás a ver o que é. Entretanto apeteceu-lhe fumar um cigarro, ao acender o isqueiro fez uma labareda, chamuscou-lhe os pêlos do peito até à raiz, ou seja, ficou sem eles, porque queimou o peito ao ponto de ter sido necessária a hospitalização, é que aquele creme tem uma grande percentagem de álcool. Vê tu, como as coisas acontecem!
Muito obrigada por teres referido o meu blog!
Recebe um beijinho da amiga Milu
Milu a 7 de Janeiro de 2010 às 00:25
Ahahahahahahah
Grande cena!
Dizem que: "onde elas caiem não nasce cabelo" será que o homem ficou com a depilação feita de vez? ahahahahahah não consigo deixar de rir
Vick VapoRub mulher não seria? O outro deve ser uma marca qualquer de limpar alcatifas ahahaahahahah
Obrigada Milú pela visita.
É um prazer receber-te SEMPRE.
Beijinho
DyDa/Flordeliz a 7 de Janeiro de 2010 às 00:46
É isso mesmo! Vick VapoRub! Já não vejo este produto há séculos! Se não ficou sem os pêlos definitivamente, pelo menos levaram-lhe tempo a nascer outra vez!
Milu a 7 de Janeiro de 2010 às 01:40
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
20
23
24
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Histats.com © 2005-2010 Privacy Policy - Terms Of Use - Powered By Histats
últ. comentários
Sim, muito sinceramente, agora as coisas estão bem...
Não lamentes.Não se perdeu grande coisa.Agora muit...
Lamento que tenhas este blogue abandonado...
É muito mais frequente do que parece este tipo de ...
Olá, bem-vinda.Óbvio que temos de ser cuidadosos. ...
Pois, os acidentes acontecem.BFDS
Nunca ninguém pode dizer que não lhe acontece.Todo...
Totalmente de acordo. Não sou mãe, mas entendo que...
Flor, não quis ser intrometida, mas sabendo que es...
Calma Miilay, não se preocupe eu estou bem. Juro.O...
Amiga, será que se desagregou mesmo???Desejo que a...
Momentos...Agarremos os que são bons, os outros......
Na vida nada é eterno ...Até uma boa música ou um ...
Paciente? Eu de facto vou algumas vezes ao médico....
Amigo, és um paciente.Haja pachorra para aturar as...